Salmo 7B
Métrica: 8. 6. 8. 6. 8. 6. 8. 6
Letra: Comissão Brasileira de Salmodia, 2019
I
1 Em ti me refugio, ͜ ó Deus; Senhor, vem me salvar
de quantos me perseguem vem livrar a mim, Senhor;
2 pra que ninguém, como leão, venha me ͜ arrebatar,
despedaçando-me, sem ter ninguém pra me livrar.
II
3 Senhor, meu Deus, se fiz o que me culpam de fazer,
se há nas minhas mãos iniquidade, ó meu Deus,
4 se com o mal paguei a quem comigo estava ͜ em paz,
eu, que poupei quem me ͜ oprimia sem qualquer razão,
III
5 persiga ͜ o inimigo até minha ͜ alma alcançar,
que pise ͜ ao chão minha vida ͜ e ͜ arraste minha glória ao pó.
6 Levanta-te, Senhor, na tua ira ͜ e vem mostrar
tua grandeza contra ͜ a fúria de ͜ adversários meus,
IV
desperta ͜ e ͜ julga ͜ em meu favor tal qual desígnio teu.
7 Reúnam-se ͜ ao redor de ti os povos, ó Senhor,
remonta-te ͜ às alturas sobre todas as nações,
remonta-te ͜ às alturas sobre ͜ os povos, ó Senhor.
V
8 O Senhor julga ͜ os povos; ó Senhor, vem me julgar
segundo ͜ a minha integridade ͜ e minha retidão.
9 Dos ímpios a malícia cesse, ͜ e ͜ ao justo vem firmar;
pois sondas, sim, ó justo Deus, a mente e o coração.
VI
10 Pois Deus é ͜ o meu escudo, sim, Ele ͜ é o Salvador
daqueles cujos corações estão em retidão.
11 Justo juiz é Deus que, todo dia, tem furor.
12 Se ͜ o homem não se converter, sua ͜ espada afiará;
VII
seu arco ͜ armado, sim, está, e tem-no pronto já;
13 pra ele preparado tem instrumentos mortais,
e suas setas inflamadas já lhe preparou.
Pra ele preparado tem instrumentos mortais.
VIII
14 Com dores de iniquidade eis que ͜ o ímpio ͜ está;
Malícia concebeu e, ͜ então, mentira deu à luz.
15 Uma cova ͜ abriu, aprofundou e nesse poço cai,
16 E sobre si sua malícia lhe recai, então,
IX
E sobre ͜ a própria mioleira ͜ a violência cai.
17 Porém eu renderei ações de graças ao Senhor.
De ͜ acordo com sua justiça, cantarei louvor.
Louvores ao Senhor Altíssimo eu cantarei.
Downloads
Mais opções