Salmo 42 (Genebra)
Melodia: Saltério de Genebra
Métrica: 8 7. 8 7. 7 7. 8 8
Compositor: Louis Bourgeois, 1551
Harmonização: Claude Goudimel, 1564
Letra: Comissão Brasileira de Salmodia, 2011
Como a corça que suspira
Pelas águas a correr,
Minha alma assim suspira
Sim, por ti suspira o Deus
A minha alma sede tem
Do Deus vivo, do Senhor
Quando irei me ver presente
Ante a face do meu Senhor

Minhas lágrimas de dia
E de noite me sustêm,
Pois me dizem, de contínuo
“O teu Deus, onde estará?”
Sinto a alma derramar
Quando lembro a multidão
Que eu, alegre, conduzia,
Com louvor, à casa de Deus

Por que estás tão triste, ó alma,
Perturbada dentro em mim
No Senhor nutre esperança,
Pois ainda o louvarei
Meu auxílio é meu Senhor
Eis minha alma em aflição
Quando, então, de ti me lembro
Em Mizar, Hermom e Jordão

Ao fragor das catadupas
Um abismo a outro atrai
Tuas ondas, tuas vagas
Sobre mim passaram, pois,
Mas durante o dia Deus
Gracioso foi pra mim
E de noite a Ele eu canto
Uma prece a Deus, meu viver

Por que de mim te esqueceste,
Minha rocha e meu Deus?
Por que, sob os inimigos,
Ando lamentando, ó Deus?
Quando insultos recebi
Dos adversários meus,
Esmagaram-se os meus ossos
Ao ouvir, “Onde está teu Deus?”

Por que estás tão triste, ó alma,
Perturbada dentro em mim
No Senhor nutre esperança,
Pois ainda o louvarei
Meu auxílio é meu Senhor
Sim, ainda o louvarei
No Senhor nutre esperança
Meu auxílio é meu Senhor