Salmo 22B (harmônico)
Melodia: Passion Chorale
Métrica: 7 6. 7 6. 7 6. 7 6
Compositor: Hans Leo Hassler, 1601
Harmonização: Johann Sebastian Bach, 1729
Letra: Comissão Brasileira de Salmodia, 2016
Deus meu, Deus meu, por que tu desamparaste a mim?
Por que se acham longe de minha salvação
Meu grito, meu bramido, que dia e noite a ti
Dirijo e não respondes, sossego não me vem

Contudo, tu és santo, entronizado estás
No meio dos louvores, louvores de Israel
Em ti os pais confiaram, livraste-os, ó Senhor
Clamaram e escaparam, não viram confusão

Sou verme, não sou homem, opróbrio de homens sou
Do povo desprezado, zombado dos que me veem
Meneiam a cabeça e os lábios a mover
Em Deus confiou que o livre, pois nele tem prazer

Porém tu és aquele que a mim fizeste nascer
Me preservaste ainda no seio de minha mãe
Desde o meu nascimento, a ti me entreguei
Desde o ventre materno, Senhor, tu és meu Deus

De mim não te afastes, pois aflição já vem
Não há quem me acuda, pois touros de Basã,
Mui fortes, me rodeiam qual boca de leão
Que, contra mim rugindo, quer me despedaçar

Como água, derramei-me, e os ossos todos meus
Estão desconjuntados, também meu coração
Qual cera se tornou e em mim se derreteu,
Secou-se a minha força e um caco se tornou

Pegada a minha língua ao céu da boca está
E, assim, ao pó da morte fizeste-me deitar
Cercado estou de cães, uma súcia de homens maus
Cercando, me traspassam meus pés e minhas mãos

E todos os meus ossos eu posso a eles contar,
Me encaram todos eles, olhando para mim
Repartem minhas vestes, e a túnica, porém,
Sobre ela todos eles a sorte vão lançar

Porém, Senhor, de mim, tu não venhas te afastar
Te apressa em socorrer-me, pois força minha és
Salvar-me vem da espada, das presas, sim, do cão
Dos búfalos, seus chifres, das fauces do leão

A meus irmãos, teu nome, então, declararei
Cantar-te-ei louvores em meio à congregação
Vós que temeis a Deus, louvor e glória dai
Sim, reverenciai-o, vós filhos de Israel

Não desprezou do aflito e nem abominou
A sua dor, nem dele seu rosto ocultou,
Mas escutou quando ele socorro lhe gritou
De ti vem meu louvor, sim, na grande reunião

Diante dos que o temem, meus votos cumprirei
Os sofredores hão de comer e se fartar
Senhor, os que te buscam teu nome louvarão
E viva para sempre o vosso coração

Da terra os seus limites do Senhor lembrarão
E até os confins da terra, pois se converterão
E, juntas, as famílias de todas as nações
Virão perante Ele e, então, se prostrarão

Pois do Senhor é o reino, governa sobre as nações
Da terra os opulentos hão de comer e adorar
E os que ao pó desceram a Deus vão se prostrar
E até quem sua vida não pode preservar

E à geração vindoura falar-se-á do Senhor
E a descendência a Ele também o servirá
Hão de sua justiça a todos proclamar
E às gerações futuras dirão que Deus o fez